Video Of Day

NOVIDADES-MOLETOM-DE-JIU-JITSU

Breaking News

História de André Galvão Jiu Jitsu




André Galvão Jiu Jitsu 


    Campeão Mundial de Jiu-Jitsu, campeão do ADCC e faixa preta graduado pelo famoso Mestre “Careca”, André Galvão é também membro fundador da Atos Jiu Jitsu, uma das melhores academias do mundo. Famoso dentro do esporte devido ao seu sucesso no tatame e no “octogon” (também lutou MMA), André Galvão é facilmente reconhecido pelo seu estilo de Jiu-Jitsu “pra frente” sempre procurando a finalização e pelas suas batalhas na categoria absoluto dos campeonatos de Jiu-Jitsu pelo mundo fora. 

Nome: Completo André Luiz Leite Galvão 

Camisetas sobre Jiu Jitsu você encontra em acesse www.harai.com.br

História de André Galvão 


    André Galvão nasceu no dia 29 de Setembro de 1982 em São Paulo – Brasil. André se iniciou nas artes marciais através do Judô ainda enquanto criança. Foi através do seu irmão mais velho que Galvão conheceu o Jiu-Jitsu, uma vez que seu irmão já treinava a arte suave. 

    Galvão iniciou seu treinamento de Jiu-Jitsu com 16 anos com o professor Luis Carlos Dagmar, mais conhecido como “Careca”, aluno do ilustre Mestre Osvaldo Alves. Foi só no segundo ano de treinamento que ele conheceria a pessoa que se tornaria o seu verdadeiro mestre e a sua inspiração, Fernando Tererê. Dagmar acreditava que a sua academia era pequena demais para o talento de Galvão e o aconselhou a treinar com Tererê que era um excelente professor e tinha outros lutadores talentosos do nível de Galvão na sua academia. 

    Sob a orientação de Tererê o Jiu-Jitsu de André Galvão teve uma evolução enorme. Tererê era um dos principais lutadores de Jiu-Jitsu da época, campeão mundial e o melhor do seu peso na virada do século. Galvão seguiu Tererê durante a sua separação da Alliance, o nascimento da Brasa e TT por um período de 3 anos. A meio de 2005 quando já chegava a hora de Galvão receber a faixa preta, uma série de acontecimentos afastaram a atenção de Tererê do Jiu-Jitsu. Em vez de receber a faixa preta do próprio Tererê que estava ausente, no dia da graduação (19 de Maio de 2005), o braço direito de Tererê e sócio da TT, Eduardo Telles, o levou até à sua cidade natal para que André tivesse a honra de ser graduado pelo seu primeiro professor, Mestre “Careca”. 

    Quando Tererê abandonou o esporte devido a seus conhecidos problemas pessoais, André Galvão acabou deixando a TT para se juntar à Brasa. Numa entrevista à revista Tatame em 2007, André Galvão afirmava que os seus ídolos no Jiu-Jitsu eram o seu professor, Tererê – pela sua personalidade e pela maneira como sempre conseguia empolgar o público, Vitor “Shaolin” Ribeiro, pelas suas incríveis raspagens e “Leozinho” Vieira por ser atlético e pelo que isso trouxe pro Jiu-Jitsu. 

    Galvão sempre foi um ávido competidor a ao contrário da maioria dos lutadores de Jiu-Jitsu, se dedicou a lutar em todos os campeonatos, não só os maiores – algo com que ele contava para continuar evoluindo. André venceu 4 Campeonatos Mundiais consecutivos, da Faixa Azul até à Faixa Preta (2002, 2003, 2004, 2005), conquistando peso e absoluto por dois anos seguidos, na faixa roxa e na faixa marrom (2003 e 2004). Atingiu a final em 2006 e 2007 mas não conseguiu vencer. O outro surgiu de novo em 2008. Nesse mesmo ano, André Galvão se juntou ao mundo do MMA, obtendo uma vitória finalizando Jeremiah Metcalf, um antigo lutador da Strikeforce, uma organização a que o próprio Galvão se juntaria meses depois. 

    Em Outubro de 2008, Galvão se associou com seu amigo Ramon Lemos para formar um novo time de Jiu-Jitsu. Os dois têm uma forte influência evangélica nas suas vidas e trouxeram as suas crenças religiosas para o tatame. Todos os seus alunos tinham uma formação semelhante e por essa razão os dois decidiram chamar o time de “Atos”, uma referência direta ao “Livro de Atos” (o quinto livro do Novo Testamento). O time tem tido um enorme sucesso nas categorias de faixa preta, com vários lutadores vencendo o Campeonato Mundial, o Pan-Americano e o Jiu-Jitsu World Pro Cup em Abu Dhabi. 

    Tendo se tornado lutador de MMA profissional em 2008, Galvão lutou em algumas das maiores organizações mundiais como a Dream (Japão) e Strikeforce (E.U.A.). Deixou a Strikeforce por sua própria vontade, depois de um ano de sucesso (2010) em que lutou 3 vezes, vencendo as duas primeiras e perdendo na última. Tinha planos para entrar no TUF (The Ultimate Fighter) – conforme explicou na entrevista ao BJJ Heroes em Janeiro de 2010 – mas isso acabou por não acontecer. Regressou às competições de Jiu-Jitsu a 7 de Março, vencendo os triais do World Pro Cup em San Diego na Califórnia (-83kg), vencendo também o Pan-Americano algumas semanas mais tarde – finalizando todos os seus oponentes, com exceção de Eduardo Santoro na final. Continuamente melhorando seu nível, Galvão esteve extraordinário na edição de 2011 do ADCC, o torneio mais prestigiante do mundo, alcançando o ouro tanto no peso como no absoluto, provando por que é considerado um dos melhores do mundo, e continuou vencendo as super lutas do ADCC nos anos de 2013, 2015, 2017 e 2019

As informações utilizadas que serviram como base desse publicação foram extraídas do site : bjjheroes.com, do próprio site das academias e/ou dos atletas, e de publicações de revistas como Graciemag, tatame, entre outras.

Nenhum comentário