Video Of Day

NOVIDADES-MOLETOM-DE-JIU-JITSU

Breaking News

História da Gracie Barra Jiu Jitsu


Gracie Barra Jiu Jitsu


    A academia Gracie-Barra é uma das equipes mundialmente mais reconhecidas no jiu jitsu, sendo a academia com mais filiais pelo mundo fora com mais de 500 faixas pretas registrados, tendo estabelecido o padrão em termos de organização para muitos outros times de BJJ que apareceram desde a Barra Gracie. O criador do time, Carlos Gracie Júnior, construiu a equipe na década de 1980 tirando o maior proveito de uma geração fantástica de alunos que se transformam em lutadores talentosos tendo dominado muitos dos campeonatos mais importantes do mundo, rivalizando com grandes academias como a Alliance, Nova União e a Carlson Gracie na década de 1990. Mais recentemente a Gracie Barra virou o seu foco para o desenvolvimento de suas filiais pelo mundo fora (com bastante incidência nos Estados Unidos), devido a esse foco na propagação da marca “Gracie Barra” o time acabou sofrendo um pouco na vantagem competitiva que teve na década de 90 e início de 2000, embora seja ainda considerada como uma das melhores equipes do mundo.

A história da Gracie Barra 


    Embora Gracie Barra tenha sido inaugurada oficialmente em 1986, sua história , na verdade começou alguns anos antes, em 1983, quando Carlinhos Gracie assumiu o controle da equipe deixada por seu irmão Rolls Gracie, após um acidente de asa delta que tragicamente matou Rolls. Carlinhos havia sido professor na academia Gracie por alguns anos, treinando ao lado de seu primo Rickson Gracie antes de ir para a escola de Rolls para ser um instrutor assistente. Rolls Gracie foi uma grande influência para Carlos Gracie Junior que ficou no comando do grupo de seu irmão por 3 anos antes de decidir abrir seu próprio espaço na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. 

    Barra da Tijuca era um bairro popular entre os surfistas que visitavam a Barra e o Recreio (bairro vizinho) por suas ondas. Muitos pensaram que a experiência de Carlos Gracie Júnior na Barra não seria bem sucedida porque na época a área não era tão densamente povoada como centro do Rio, ficando muito longe da agitação da “Zona Sul”, mas Carlinhos não prestou muita atenção para os descrentes, e num ano, com a ajuda de Jean Jacques Machado (o seu professor assistente) transformou um pequeno grupo de 20 alunos em 200. A equipe começou a ser chamada Barra Gracie porque as pessoas se referiam à academia como “os Gracie da Barra”. A terminologia acabou pegando sendo usada como uma maneira de diferenciar as duas escolas, a Academia Gracie de seus primos e a Gracie Barra de Carlinhos Gracie. 

Início Glorioso da Gracie Barra 


    Quando Carlos Gracie Júnior se estabeleceu na Barra da Tijuca, muitos dos alunos que ele tinha treinado na academia do Rolls Gracie em Copacabana seguiram Carlos nessa nova odisseia; praticantes, como Jean Jacques Machado (que ajudou no treinamento na Gracie Barra nos primeiros anos), Renzo e Ryan Gracie e muitos outros. Logo que a notícia se espalhou entre a comunidade da Barra, os surfistas locais e os cascas grossas da região rapidamente foram preenchendo a academia. A quantidade de talento construído nos primeiros anos da Gracie Barra foi impressionante, com uma interminável lista de lutadores incríveis sendo jorrada regularmente nos campeonatos locais, muitos dos quais revolucionaram o lado técnico do esporte para sempre, lutadores como Nino Schembri através de seu guarda aberta e o seu jogo de omoplata ofensivo, “Roleta” com a guarda invertida, Roberto Correa (o “Gordo”) com sua meia guarda, “Tinguinha” com a guarda aranha e muitos outros. 

    A equipe Gracie Barra se tornou uma das equipes mais temidas do final de 1990 e início de 2000 vencendo o Mundial (Campeonato Mundial), em várias ocasiões, sendo 2002 o ano mais dominante para a história da Gracie Barra com oito medalhas de ouro na faixa-preta (masculino), solidificando seu nome como uma das principais academias do mundo. 

    Embora a equipe tenha sido muito bem sucedida, alguns de seus filhos pródigos começaram entrando em conflito com as opiniões de Carlinhos Gracie e se afastaram da equipe passando a criar os seus próprios times, como foram os casos de Mauricio “Tinguinha”, Helio “Soneca”, Alexandre “Soca” e muitos outros que não aprovaram da direção para onde a academia estava sendo conduzida, inclusive Roberto Correa (em 2007), que foi um dos principais treinadores na Gracie Barra Combat Team – a equipe de MMA da Gracie Barra. Correa (mais conhecido como “Gordo”) deixou a equipe após uma disputa bem documentada entre Carlos Gracie Junior e Carlo Malta (que era o gerente para a maioria dos lutadores GBCT). “Gordo” sendo muito pegado aos seus lutadores/alunos e Malta acabou deixando a Gracie Barra para formar a “Gracie Fusion”, tendo que numa fase posterior lançado o seu próprio projeto: Gordo Jiu Jitsu. 

A Polêmica Mudança da Gracie Barra para os EUA 


    A Gracie Barra como uma corporação de luta, sempre foi muito orientada para a globalização de seu time, criando módulos de franquias desde muito cedo. Essa expansão foi levada a um nível acima quando, em 2005, o time mudou sua matriz para longe do Rio de Janeiro, para Lake Forest, nos Estados Unidos, após um convite de James Lu que ofereceu uma parceria com a Gracie Barra para a criação de um mega espaço na área. Este movimento causou alguma turbulência especialmente em Mauricio Tinguinha (a ex-estrela da equipe Gracie Barra) que tinha estabelecido uma academia nessa mesma área há algum tempo e viu a mudança da GB para a porta de sua “casa” como uma afronta. Ele estava também aborrecido pelo fato de ter uma boa amizade com Márcio Feitosa, um dos principais professores da Gracie Barra, que não o teria avisado do acontecimento, tendo só sabido da mudança através internet. Esse caso foi muito discutido em fóruns de internet por todo o mundo. 

    A polêmica não terminou aqui, e alguns meses após a mudança, o co-proprietário do espaço onde ficava a academia Gracie Barra, James Lu, mudou as fechaduras das portas e demitiu ambos Carlos Gracie Junior e Márcio Feitosa de seus cargos como treinadores na sua academia após problemas pessoais com o par de professores da Gracie Barra. Os alunos (que tinha fechado contrato anual ou semestral com a academia e não a Gracie Barra) foram deixados um pouco à deriva tendo estabelecido contrato caro do qual não poderiam sair, mas querendo seguir seus mestres. Depois dessa situação Carlinhos Gracie e sua equipe se mudaram para Irvine na Califórnia, a sua matriz lá. 

    Gracie Barra – Jiu-Jitsu para Todos A expansão Gracie Barra usou muitos dos seus melhores faixas pretas para abrir filiais da Gracie Barra pelos Estados Unidos de ponta a ponta, usando o termo “Jiu-Jitsu para todos” como slogan de campanha, numa tentativa de se tornar numa academia mais orientada para as famílias e menos para a competição. Este plano foi muito bem sucedido tendo visto um crescimento enorme no número de alunos, contudo mas teve também seus efeitos negativos na equipe de competição, um time que viu os seus faixas pretas espalhados e com poucas oportunidades de treino duro para continuar competindo ao mais alto nível. Essas performances menos boas no inicio têm mudado um pouco recentemente, com vários competidores da Gracie Barra voltando a atividade e em grande forma, como foi visto no mundial de 2013.

As informações utilizadas como base desse publicação foram extraídas do site : bjjheroes.com, do próprio site das academias e/ou dos atletas, e de publicações de revistas como Graciemag, tatame, entre outras.

Nenhum comentário